Category Archive : Web

Guia de Desenvolvimento para Aplicações Web com JavaEE

Este post tem a finalidade de fornecer uma visão por norma geral das primordiais tecnologias envolvidas no desenvolvimento de um sistema para utilizar na plataforma Java EE. Você não encontrará informações detalhadas sobre recursos, instalação, feitio, segurança, performance comparativos das tecnologias mencionadas. O que você verá é somente uma relação com uma pequena descrição backlinks para referências oficiais das tecnologias mais utilizadas num projeto Java EE. A idéia é responder a seguinte pergunta: O que eu preciso aprender/utilizar para iniciar a desenvolver aplicações para a Rede utilizando Java EE?

Java SE

A sigla significa Java Standard Edition é a sustentação para o desenvolvimento de aplicações Java, sejam elas da classe de console, aplicações com interfaces gráficas para desktop, utilitários para dispositivos móveis ou sistemas completos para Internet. O Java SE vai estar presente em todos os tipos de soluções Java porque é a edição que disponibiliza a linguagem Java propriamente dita, as diversas bibliotecas de funções para tratamento de exceções, conexão a banco de dados, entrada e saída de dados, manipulação de ficheiros em disco, mecanismos de programação concorrente, particularmente a API SWING, que é o conjunto de bibliotecas para a geração das interfaces gráficas.

A sigla significa Java Enterprise Edition é a edição que disponibiliza recursos para o desenvolvimento de aplicações Internet. Nesta edição encontramos ferramentas para geração de páginas ativas, recursos para expandir as capacidades dos servidores de aplicações variados frameworks para a estruturação de emprego em camadas.

Nota: Um framework é um conjunto de funções, componentes recursos para facilitar o desenvolvimento de um emprego.

Java ME

A sigla significa Java Micro Edition é utilizada para desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis, sejam eles celulares, smartphones, smartcards, TVsDigitais chips de cartões.

Protocolos

HTTP

A sigla signfica HyperText Transfer Protocol é o etiqueta que possibilita o compartilhamento de documentos na World Wide . O HTTP encontra-se na estrato de emprego do protótipo OSI (Open Systems Interconnection) baseia-se no mecanismo -resposta entre um comprador um servidor para a troca de informações.

TCP/IP

A sigla significa Transmission Control Protocol / Net Protocol são 2 protocolos distintos, porque o TCP é a formalidade encarregado pela transmissão o IP é gerente de pelo endereçamento dos dados que serão transmitidos pelo TCP. Estes protocolos atuam em camadas diferentes do protótipo OSI. O TCP estaria na categoria de transporte o IP encontra-se na categoria de rede padrão OSI.

Linguagens de uso por norma geral

As linguagens de uso por norma geral são linguagens de programação que constantemente serão utilizadas no desenvolvimento de soluções para a independente se o projeto utilizará Java EE, PHP ou ASP.

HTML

A sigla significa HyperText Markup Language é a linguagem utilizada para estruturar elementos por exemplo textos, parágrafos, listas, tabelas imagens num documento com finalidade de este tenha como ser visualizado no envolvente da por meio dos navegadores.

CSS

A sigla significa Cascading Style Sheets é a linguagem utilizada para separar todas e cada uma das partes de formatação de uma página HTML colocando-as em um registro separado. Bem não misturamos código de estruturação com código de formatação. Outra vantagem é que se o emprego possuir mais de uma página rede elas utilizarem as mesmas formatações, todo o código vai estar concentrado em um único registro facilitando futuras alterações.

JavaScript

É uma linguagem utilizada para monitorar a conduta de um documento HTML. Por ex, é provável examinar se um determinado elemento de edição foi preenchido ou não. Existem diversos projetos que disponibilizam frameworks contendo funções, componentes prontos para facilitar o desenvolvimento das aplicações. segue uma lista com as primordiais frameworks JavaScript:

HTML DOM

A sigla significa HTML Document Object Model é um recurso utilizado para aceder os elementos de uma página HTML tal e como se fossem objetos com atributos propriedades. Por ex, uma função JavaScript deve restabelecer o teor de um fator HTML de ingresso de dados por meio da propriedade value deste elemento.

DHTML

A sigla significa Dynamic HyperText Markup Language é uma técnica que utiliza JavaScript HTML DOM para tornar as páginas HTML ativas. Por ex, é provável modificar a cor de um determinado elemento HTML ao passar o mouse sobre este ou ainda ocultar pequeno número de elementos ao pressionar um determinado botão contido na página.

XML

A sigla significa eXtensible Markup Language é a linguagem utilizada para produzir documentos que contenham dados organizados hierarquicamente. É amplamente utilizado para armazenar configurações de sistemas, para compartilhamento de informações também é bastante utilizado por vários frameworks, como Hibernate Spring.

XML DTD

A sigla significa XML Document Type Definition é a linguagem utilizada para definir a estrutura de um documento XML com o propósito de o mesmo tenha como ser validade aceito pelos sistemas que irão compartilhar tais documentos.

XML Schema

É a linguagem utilizada para definir a estrutura de um documento XML com bastante flexibilidade recursos do que o XML DTD.

XML XSL

A sigla significa XML eXtensible Stylesheet Languagee é uma linguagem utilizada para definir folhas de estilo para XML da mesma maneira que oCSS define folhas de estilo para o HTML.

AJAX

A sigla significa Asynchronous Java Script and XML é uma técnica utilizada para fabricar funções assíncronas, por ex, preencher campos numa página sem a premência de entregar ‘refresh’ na mesma.

Tecnologias Java EE

Servlets

É o conhecimento utilizada para estender a capacidade dos servidores de aplicações autorizando que respondamos as requisições feitas pelo formalidade HTTP.

JSP

A sigla significa Java Server Pages é a linguagem utilizada para produzir páginas ativas através da inclusão de código Java no meio de código HTML ou XML.

JSTL

A sigla significa JavaServer Pages Standard Tag Library é a técnica utilizada para estender a JSP mediante uma livraria de tags que encapsulam funcionalidades comuns como processamento de dados XML, loops, realização condicional internacionalização.

JSF

A sigla significa Java Server Faces é a técnica utilizada para produzir páginas Rede com mas riqueza de recursos do que páginas com componentes HTML. JSF é a especificação da ciência. Existem diversas implementações desta especificação. A lista relaciona as mas utilizadas:

Além das diversos implementações citadas, muitas empresas criaram bibliotecas de componentes visuais baseados na especificação JSF. Estes componentes trazem recursos extras, novos controles, novos visuais, entre muitas outras coisas. Segue uma relação dos primordiais conjuntos de componentes JSF:

EJB

A sigla significa Enterprise Java Beans é a técnica que possibilita a geração de componentes reutilizáveis em aplicações . Estes componentes estarão hospedados no servidor da emprego geralmente eles representam um objeto que será persistido em banco de dados, uma nível que irá processar mensagens de modo assíncrona ou ainda uma nível que vai realizar uma tarefa .

Epílogo

Ao longo deste documento foram expostas várias das primordiais tecnologias utilizadas para a construção de aplicações utilizando a plataforma Java EE. Com isso, conseguimos responder a nossa pergunta: O que eu preciso aprender/utilizar para estrear a desenvolver aplicações para a Rede com Java EE? É essencial distinguir que existem outras tecnologias que não foram mencionadas neste trabalho, porque estas vão depender de peculiaridades específicas de emprego.

Começando a programar em PHP

Para começarmos a programar em PHP primeiro baía o seu editor de escrito ou IDE preposto, analise entre as melhores IDE para PHP tábua comparativo entre as melhores IDE para PHP os dois em inglês. Uma boa saida é o Aptana o plugin para desenvolvimento em PHP mas você deve utilizar o seu preposto.

Delimitadores de código PHP

Do mesmo modo que o HTML temos as tags no PHP temos os delimitadores de código, que são respectivamente a tag de franqueza a tag de conclusão, quando o código deve ser inserido. Veja o seguinte:

Além dos delimitadores de código todas e cada uma das suas páginas devem possuir a extensão .php por ex: meu-primeiro-programa.php

Ou ainda como mencionado no post anterior sobre o que é o PHP vamos poder juntar o PHP com o HTML como deve ser observado no próximo.

<?php// Sim também vamos poder ter código PHP de antemão do DocType.?><!DOCTYPE html PUBLIC "-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN" "http://web.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd"><html xmlns="http://web.w3.org/1999/xhtml"><head><meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=utf-8" /><title>Titulo da minha página</title><?php// Código PHP cá em head.?></head><body><?php// Código PHP cá no body!!!?></body></html><?php// Código PHP cá até após fecharmos a tag html!?>

Como você deve perceber vamos poder redigir código PHP misturado com o HTML em uma parte do código. Além do que eu mostrei imagine que você queira produzir o titulo da sua página pelo PHP dinamicamente o que você faria? Isso mesmo colocaria as tags do PHP dentro da tag title realizaria uma rotina para produzir o titulo dinamicamente.

Caso você já tenha programado alguma coisa em PHP ou baixado qualquer script em PHP talvez já tenha se deparado com as tags respectivamente de brecha fechação deste modo:

  1. <? ?>
  2. <% %>
  3. <script language=”PHP”> </script>

O mas utilizado é o primeiro caso, apesar disso não o utilize. Porque com o progresso do PHP esta classe de escrita deve ser desabilitado ainda deve acontecer a possibilidade de seu servidor internet não concordar esta classe de tag.

Então prefira constantemente as tags .

 

Leia também:

Tipos de Propaganda

O que é mídia, Qual a finalidade?

Noção de variável

Variáveis como você já deve estar imaginando unicamente pelo nome é tudo aquilo que é sujeito a variações, que é incerto, instável ou instável, isto é, deve mudar durante sua existência. Vamos a uma conformidade para entendermos o concepção de variáveis. Imagine a seguinte situação:
Joãozinho mora na vivenda de seus pais a partir de que nasceu passa a maioria do dia em seu quarto. Com o passar dos anos o quarto de Joãozinho foi mudando, seus brinquedos foram trocados por um computador, seu início foi trocado por uma leito, seu guarda-roupa de menino foi trocado por um de adulto, as paredes foram pintadas de cores diferentes Joãozinho ganhou uma televisão em seu quarto.
Como você já deve ter imaginado a nossa variável cá foi o quarto de Joãozinho, que com o passar do tempo foi variando seu teor.

Trazendo o noção de variável ao PHP a nossas páginas de net. Voltemos ao anterior quando misturamos PHP HTML. O teor que ficaria dentro da tag body gerado pelo PHP seria uma variável, que dependo da página que estaríamos acessando este preço, quer dizer, este seria variável. A página inicial teria um preço naquela variável página de contato já teria um preço dissemelhante em sua variável.

As variáveis no PHP

Agora que você já cobija um concepção de variável iremos ver como produzir nossas variáveis no PHP. As variáveis servem para armazenar dados que podem ser utilizado em uma parte do programa. Para produzir uma variável em PHP você deve acompanhar várias paquete, são todas muito fáceis de se avezar, veja acompanhar:

  1. As variáveis são representadas por um cifrão ($) seguido pelo nome da variável
  2. O PHP é case sensitive, ou melhor, este diferencia minúsculas de maiúsculas. Sendo logo $nome dissemelhante de $Nome $NoMe
  3. Nomes de variáveis devem ser iniciados somente com uma letra ou _ (sublinhado) podem ser seguido de caracteres ou algarismos, quer dizer, números podem surgir em outras posições a não ser na primeira
  4. Nunca utilize caracteres singulares em nome de uma variável como acentos (é í ó) cedilha (ç)

Separação de instruções

Você também deve ter reparado no anterior que depois definirmos um preço a variável terminamos utilizando o presságio de ; (detalhe virgula). Este é o separador de instruções do PHP, quer dizer, continuamente que definirmos uma variável ou imprimirmos alguma coisa na tela devemos utilizar o ;.

Enviando resultados ao browser, o uso do comando echo

Você deve estar imaginando acabei de fabricar varias variáveis mas como que eu faço para exibir o teor que guardei em qualquer uma delas? neste detalhe que aprenderemos exibir o montante de nossas variáveis na tela. Mas primeiro exibiremos o mas clichê de todas e cada uma das linguagens de programação o reconhecido “Hello World”.

Recomendo a lascar deste quesito produzir uma pasta com o nome de estudos em seu diretório HTDOCS vá testando os exemplos que serão mostrados próximo.

Não se esquecendo de salvar os ficheiros com a extensão .php

<?phpecho 'Hello World';?>

Repare que ainda não exibimos os dados de uma variável unicamente exibimos um escrito geral.

Exibindo dados das variáveis no PHP

Agora iremos exibir os valores de nossas variáveis no browser utilizando o PHP, para isso utilizaremos as variáveis que criamos anteriormente.

<?php$nome = 'Mauro George';$promanação = '06/09/1989';$sobre_nome = 'Oliveira Tavares';echo $nome;echo $sobre_nome;echo $promanação;?>

Você deve ter percebido que como exibimos varias variáveis terminou o oferecido de uma este “colou” com o oferecido da próxima variável mas isto será concertado chegarmos a concatenação de strings, mas neste quesito o interessante é vermos que conseguimos exibir o montante da variável.

Posso exibir dados das variáveis no PHP misturado com o HTML?

SIM! Como o PHP se mistura ao HTML vamos poder exibir os dados em conjuntos vejam um pratico.

Repare que além do PHP esta misturado ao HTML também a tags de HTML no preço da minha variável em PHP.

As variáveis podem ser exibidas continuamente que necessário na tela, veja que repeti várias variáveis mas de uma vez.

ainda independente da ordem de enunciação das variáveis elas podem ser chamadas a sua escolha. Mesmo eu tendo enunciado $titulo, $css $conteudo eu poderia exibir na tela primeiro $conteudo $css por ultimo exibir $titulo a ordem de exibição sou eu que faço.

Conquanto o seguinte geraria um erro:

<?phpecho $nome;echo $sobre_nome;echo $promanação;$nome = 'Mauro George';$promanação = '06/09/1989';$sobre_nome = 'Oliveira Tavares';?>

Você sabe me expressar o por quê? Se você respondeu que em consequência de tentarmos exibir uma variável sem de antemão declará-la você acertou. Ou melhor, de antemão de exibirmos oferecido de antemão devemos o ter enunciado antemão.

Comentários no PHP

O PHP nos fornece um suporte a comentários que vem a ser realmente útil estamos desenvolvendo sistemas. Temos os próximos tipos de comentários no PHP:

  1. // glosa de uma traço somente
  2. # também glosa de uma risca unicamente
  3. /* */ observação de múltiplas linhas

Veja toda gente eles em trabalho :

Constantes no PHP

Como você já deve ter imaginado as constantes no PHP guardam valores que nunca serão alterados, e você pode começar com o método que funciona e é bom e ensina o passo a passo do php  Dissemelhante das variáveis que possuem valores que podem ser alterados, assim sendo depois definida uma metódico ela não deve ser alterada ou removida.

Para definirmos uma jacente utilizamos o comando define(); que possui sua sintaxe seguinte:

define( ‘NOME_DA_CONSTANTE’, ‘VALOR DA CONSTANTE’ );

O nome de uma estável possui a mesma regra de identificador PHP, quer dizer, as mesmas paquete de nomes de variáveis menos pelo fato de constantes não iniciarem o nome com cifrão ($).
Veja um próximo quando utilizamos uma estável.

Agora que você entendeu o trabalho de uma metódico deve estar se perguntando: que a diferença real entre variáveis constantes?
Acompanhe o próximo observe que variáveis podem ter seus valores modificados durante a realização de uma página, já as constantes seus valores nunca podem ter seus valores alterados.

Por padrão continuamente escreva o nome de constantes em importante separado por _ (sublinhado). :